29 de setembro de 2009

o tio Alberto lá sabe...

A falta de decência não pára de me surpreender. Cavaco finalmente fez o que todos queriam. E não agradou nada aos que tanto desejavam a sua intervenção. Motivos? Só encontro um. A verdade custa a ouvir. É óbvio que todo este caso foi manipulado pela máquina socialista. Só a eles interessava e os resultados foram conseguidos. As eleições assim o demonstram.

Cavaco não tem jeito para estas coisas. Ao contrário de Sócrates não se deixa levar pela absoluta necessidade de gerir as intervenções de acordo com os interesses eleitorais. Não é moderno, diriam uns. Outros que não é um bom político. A verdade é que neste jogo de graúdos perdeu, mas não deixa de ter absoluta razão.

Este país ensandeceu e perdeu a vergonha. Reelege um partido que para além dos anúncios pouco fez durante quatro anos. E que foi eleito em 2005, convém relembrar, com base em falsos pressupostos. Sobre isto nada se disse e era a única coisa que era essencial discutir.

Apenas os comentadores da moda queriam explicações. Por mais estúpidas e irrelevantes que fossem, claro está. É assim que se legitimam. Adoram controlar e condicionar, como se o poder fosse na verdade deles. Hoje gritam de raiva, porque o Presidente os tratou como o que verdadeiramente são. Uns absolutos inúteis que se distraem com questiúnculas inconsequentes.

Cavaco chamou, de resto, idiotas a todos os que passaram os últimos quinze dias a discutir esta inutilidade. Não é de estranhar por isso que muitos ainda não tenham compreendido o que disse
.

o que vale a pena comemorar


"E não é que neste mundo há cada vez mais gente e cada vez menos pessoas?"

I've walked La Ramblas...



...but not with real intent

28 de setembro de 2009

I read the news today, oh boy

o prazer de citar os clássicos

Origem do Império Português e do provincianismo português

Com estas esposas, mães, primas, irmãs,
compreende-se.
Mal se viam chegando à puberdade,
estes homens tinham de fugir
e seriam sedentos de quanto outras
mulheres lhes dessem.

Os que ficavam, ou os que levavam consigo
as da família, que tinham,
eram forçados pela tradição biológica
a viver no esófago das fêmeas,
como o macho da "bonelia viridis".

Que, em Portugal, até as putas são senhoras
que não fazem porcarias,
e só ao sábado fodem e em decúbito dorsal.

Jorge de Sena

"chamam-te Fama e Glória Soberana / nomes com quem se o povo néscio engana!"



Fortes subidas do BE e CDS; a propaganda moralista - à esquerda e à direita - resultou em cheio. Vivam os brandos costumes e as identificações concretamente intransigentes de Bem & Mal.

É triste que seja o resultado de uma campanha que vive da falta de informação e esclarecimento que é oferecida, fora e extra-campanha. Porque não é numa campanha que se esclarece e educa - tal terá de estar incutido para que a campanha sirva para decisões de escolha de políticas, e não de chavões políticos.

Sem isso, continuamos a assistir a pregadores de Salvações Vs. Desgraças, quais velhos do Restelo medievais.

Triste, hã?

t.

27 de setembro de 2009

Graçola

Diz um puto francês para um puto português:
- Eu como chocolate e tu comes broa…
O puto português conta à mãe o sucedido e a mãe diz para ele dizer o seguinte: Eu tenho o PS no governo e tu não tens…
No dia a seguir o puto francês volta a dizer ao puto português:
- Eu como chocolate e tu comes broa..
E o português respondeu:
- Eu tenho o PS no governo e tu não tens…
O puto francês foi para casa e disse à mãe o que o puto português lhe disse e a mãe disse-lhe:
- Olha, diz-lhe que não tens, mas que também vais ter!!!
No outro dia o puto francês disse:
- Eu como chocolate e tu comes broa..
Diz o puto português:
- Eu tenho o PS no governo e tu não tens…
Diz o puto francês:
- Não tenho mas vou ter…
Diz o puto português:
- Então vais passar a comer broa que te vais foder …

Reflexões Inconsequentes



Os meninos prodigiosos dos Gato Fedorento têm, ou passaram a ter, o condão de fazer com que as pessoas se riam ainda antes da piada atingir a punch-line. Em relação ao alcançar de uma audiência fantástica, de todas as gentes, são os maiores. E aproveitam para passar as suas mensagens, em programas que eles próprios achariam que deveriam ser melhores.

Mas, como dizem os conscientemente iluminados, "ao menos assim metem o povo a pensar nestas coisas e vê-se mais que os Malucos do Riso". É, deveras, de se lhe tirar o chapéu (aos Gato Fedorento, não aos iluminados), mesmo que continuemos a jogar por baixo e a satisfazer-nos com uma alguma mediocridade. "Mas Roma e Pavia não se fizeram num dia", argumentarão.

Às vezes os Gato Fedorento usam piadas tão complicadas que o seu enorme público não percebe - por não haver uma certa entoação de voz - que chegou o momento de rir. Imagino que será nesses momentos que a pandilha de R.A.P. se sente melhor, suspirando à mistura.

Note-se, no vídeo acima, que ninguém se ri da muito boa piada ao suplemento do Público. Acho que é o melhor retrato que este programa poderia fazer - apesar de involuntariamente - sobre o país e esse tal povo que assim sempre vai "abrindo os olhos". Logo a seguir aos 03:15.

t.

como eu adoro os comentários do Público

«A maioria destes comentadores, não tem a mais pequena ideia do que significa a palavra DEMOCRACIA ! Se alguém diz que gosta da Manuela e que vai votar no PSD, é um FACHISTA, é um retrógrado, e "milhentos" mais adjectivos raivosos ! Mas se comenta ou e diz que vai votar nos Marxistas-Leninistas-Trotskistas, ou nos Marxistas-Leninistas-Estalinistas, que são doutrinas ideológicas que já NÃO SE USAM em NENHUM PAÍS DA EUROPA, NEM NA RÚSSIA, já é um votante EVOLUÍDO, PROGRESSISTA, todo para a "FRENTEX", embora esteja a escolher doutrinas que já provaram na prática, que só produziram ATRAZO e POBREZA, nos países onde foram aplicadas !»

27.09.2009 - 10h49 - Curioso, Almada

Aviso à Populaça

Recebi uma SMS da sucessora da Polícia Internacional e de Defesa do Estado com uma mensagem a incentivar indirecta e subliminarmente à não participação cívica no sufrágio popular de hoje.

"Ao mínimo sintoma de gripe fique em casa e ligue 808 24 24 24 ou contacte por telefone o seu médico. Reforce as medidas de higiene. Evite contagiar outros. Consulte www.dgs.pt"



acento escreve-se com "c" ou com dois "ss"?

26 de setembro de 2009

another lonely night

tomorrow never knows

Turn off your mind, relax and float down stream,
It is not dying, it is not dying

Lay down all thought, surrender to the void,
Is it shining? Is it shining?

That you may see the meaning of within
It is being, it is being


Reflexões & Reflexos

Esta foi uma das fotos presentes no World Press Photo 2009. Obama no elevador a dirigir-se para o discurso de vitória. Se calhar sou eu que estou a querer implicar, mas quando vi esta foto...


... fez-me logo lembrar - e nem foi só a mim - o seguinte cartaz:


Agora deparo-me com este segundo exemplo dos liberais alemães:

A análise de uma artista plástica alemã que ouvi foi: "Se votar neste senhor serei mais uma figurante de um cartaz dele, provavelmente mais uma pessoa que olha para ele e a quem ele não retribui o olhar?"

Ou algum dos pensadores da segunda e terceira foto se andam a copiar um ao outro, ou tiveram ambos a mesma visão / ideia genial, ou simplesmente não têm imaginação nenhuma. Ou não é nada disso, e sou eu que ando a ver coisas. Vão dizer-me que não têm os três narizes avantajados, queres ver?

t.

25 de setembro de 2009

pardon my french

A poucos dias das eleições, faço questão de deixar aqui um esclarecimento. A pressa de chegar à próxima legislatura é grande, mas este blog não toma, nem tomará posição sobre as eleições. Cada um vota no que quiser, conforme lhe aprouver a consciência. É evidente!
Eu apenas quero aqui deixar claro que se alguém votar no Partido Socialista pode bem ir para a puta que o pariu. Eu cá não tenho amigos que votem PS. Pelo menos não neste PS. E se tenho, ide-vos foder. Respeitosamente, claro!
Reparem que não estou com isto a querer influenciar o voto de ninguém, mas, francamente, se pensam reeleger Sócrates é por terem sido sujeitos a uma lobotomia. E eu gosto pouco de conviver com gente pouco inteligente. Já me basta ter de aturar os «benfas» do meu círculo social.
Por isso ide, ide reflectir e decidi sabiamente. Que ganhe o menos mau.

22 de setembro de 2009

como se diz escuta em inglês técnico?

Cavaco é uma personagem que nunca me agradou. Sempre tive dificuldade em digerir o estilo das “certezas absolutas” e a insensibilidade crónica à contestação social. É um estilo salazarento que me incomoda. Claro que é a mesmíssima razão que sempre me levou a antipatizar com Sócrates. Nem é preciso explicar porquê. Mas todo o alarido criado à volta deste caso das escutas, as incessantes dúvidas levantadas sobre o carácter do Presidente da República, levam-me a questionar se não está tudo completamente estúpido neste país. Por muito que a personagem de Boliqueime não me anime, nunca em circunstância alguma coloquei em causa a sua seriedade. Ela é, aliás, parte do seu problema. O homem está sempre firme e hirto e aparentemente só consegue desmanchar-se à dentada de bolo rei. E neste particular poucos políticos no activo se podem gabar do mesmo. Ao mínimo grão de areia arremessado muitos telhados desabariam e é uma pena que nesta altura de campanha eleitoral já quase todos o tenham esquecido. O fanatismo é tramado. É mesmo. link link link link link

I didn't question I didn't know

21 de setembro de 2009

Мишка



Decorrendo do vídeo no post anterior, deixo no ar a questão: Já alguém viu essa personagem e Misha, a mascote dos Jogos Olímpicos de Moscovo, juntos?

Será que, qual José "forget-the-Durão" Barroso, essa mesma personagem se acabou por se revelar, apesar de uma juventude comn.. comunn.. kmun... ver...melha, algo evidentemente mais reaccionário?

O que nos leva a uma questão essencial: Qual era a disciplina preferida do primário f.-t.-Durão?


t.

eu gosto muito de ir à escola...



...e dizem que começa hoje.

16 de setembro de 2009

Lost in Tokyo or Anywhere Else



Vi o "Lost in Translation" e gostei. Pensei que se concentrasse mais no título do filme, mas a história para que o mesmo serve de tapete é um bombom.

t.

eu malho, tu malhas...


Não vi as imagens, mas mal posso esperar. O relato é bem significativo. E agora já é admissível? E será que alguém vai criticar os putos mimados da JS. É preciso sentido de humor para estas coisas e por cá, pasme-se, até Cavaco o revelou. Fico à espera do acto de contrição, embora me pareça que apenas vamos ouvir o discurso da urdidura.

a minha primeira escolha

Intencionalmente ou não, a verdade é que os Gato Fedorento conseguiram esclarecer uma coisa nesta campanha. Quem assistiu aos dois programas viu aquilo que é absolutamente evidente há muito. Sócrates e Ferreira Leite não são líderes carismáticos. Longe disso. Mas dos dois apenas um é o que aparenta. Goste-se ou não da líder do PSD, aprecie-se ou não o estilo ou as ideias, a verdade é que a senhora até nas pausas é genuína. E isso diz muito.

Aquela ideia que vendem repetidamente de que o PM é um bom político está a desmistificar-se. Essencialmente por culpa do próprio. Nada do que diz equivale ao que pensa, nenhum gesto é irreflectido, nenhuma postura é natural. E cada vez mais há quem a isto esteja atento. Ou acham que os filhos o avisaram de alguma coisa?

Longe de mim defender o PSD. Não partilho as ideias nem as convicções. O mesmo posso acrescentar do partido da esquerda democrática quando convém. Tenho sorte de saber para o que voto, que já é mais do que a maioria pode dizer. E a escolha do líder do governo não é o essencial. Mas se fosse, e não me custa dize-lo, optaria sempre por um que não se transfigure a cada circunstância. Os Gato Fedorento apanharam bastante bem essa faceta, de resto. Pena foi que não a explorassem no dia correcto. Não se pode ser perfeito.

15 de setembro de 2009

stay gold



Para os brutos e mal formados é só prestar atenção ao minuto 2.32. E a música é linda. Tenho dito.

"Papá Wrestling"



Não faço ideia de quem produziu, realizou e levou até nós esta obra fantástica.

Mas até mereceu uma Menção Honrosa no festival MOTELx 2009, há uns dias.
Não percebo - se nos consideramos um país de brandos costumes - porque razão uma curta metragem que enaltece os valores da família não arrebata o 1º prémio e pronto. Dever ser por isso mesmo (por sermos um país de brandos costumes).

Depois de ver o filme, há mais sobre o mesmo, e ainda sobre brandos costumes e primeiros prémios aqui.

Who's Your Daddy?

t.

o bacalhau quer alho

«Se ferreira leite chegar a governo os portugueses deixam de poder comer bacalhau porque deixam de ter dinheiro para comprar bacalhau.»

Estava eu tranquilamente no twitter, quando fui presenteado com esta profunda estupidez. Qual caixa de comentários do Público. Eu podia jurar que já tinha deixado de seguir quase todos os activistas do PS, mas há sempre um que escapa. E isto até podia parecer gozação, mas posso garantir que não é. Esta gente que anda em propaganda descarada só diz coisas destas, apenas levanta este discurso ridículo que apela à maior mesquinhez de espírito.
É infelizmente o retrato da campanha. E é engraçado reparar na estratégia seguida por quem acusa os outros de maledicência. Tudo serve para desviar as atenções. Mas alguém acredita que com Manuela Ferreira Leite vamos voltar aos tempos de ditadura? Serão os portugueses tão ignorantes que possam pensar que votar Sócrates representa o futuro e a modernidade? Mas é mesmo isto que vai ajudar a decidir as eleições? E será a fotogenia um aspecto relevante? É que se assim for, proponho desde já que façam um casting, pois os actuais líderes têm, parafraseando uma frase que um dia ouvi Alvim dizer, um fraco índice de fodibilidade. Haja pachorra! link link link

you make this all go away

13 de setembro de 2009

untitled #8

Foi isto que a música dos Mew me fez lembrar. Um dos melhores concertos que vi em Lisboa. A simplicidade de tudo, a empatia criada, a espontaniedade das reacções. No final o Coliseu parecia que tinha molas. Uma das maiores ovações que já ouvi. Quinze minutos a aplaudir. E sem encore. Vieram agradecer uma dezena de vezes, sei lá eu. Daquelas noites para não mais esquecer. E antes do grande hype dos Sigur Rós.
Vejam bem a força e a tensão que se criam com tão pouco.

these comforting sounds

12 de setembro de 2009

to murder my love is a crime



Love is always scarpering or cowering or fawning
You drink yourself insensitive and hate yourself in the morning

praying that you could make me good

Homenagem ao Papagaio Verde


Dizem alguns directores literários
(e accionistas da própria propaganda)
que "o Sena não se vende". E é verdade:
Não vende. Só as putas se vendem.
E em Portugal são tantas que não há
bolsas bastantes para comprá-las,
nem caralhos bastantes
para fodê-las como mereciam
.

Jorge de Sena

11 de setembro de 2009

can’t think straight



shitfaced, fumbling in a dark place, drinking in the last days
this street looks just like the next street, bumblefuck on repeat

this time you should have stopped but where’s the fun?
the outcome, the only friend you ever had is setting off with a rich son

so sure she was like a brother ’til you dropped another
so sure you kept it under covers, until you knew you loved her

now you can’t think straight, because you’re not straight
in the back of her mothers car
no secret’s too safe, and how you can’t stay
in the back of her mother’s car

no secret’s too safe, and how you can’t stay
higher than the stars.

self discovery



...can be painful.

L'avventura (1960)
Michelangelo Antonioni

just give me a second to clear my head

10 de setembro de 2009

tudo a postos


Este é o cenário por todos os corredores de uma escola secundária em Lisboa. Abre dia 15. Por ordem do ministério. Nem está em causa a qualidade ou a necessidade do que está a ser feito. Apenas a urgência de inaugurar para a fotografia. Esperemos que não venham depois a correr tirar as cadeiras. E continuo sem saber de que plano de contingência estão a falar. Está mesmo, mas mesmo tudo pronto.

sing along will you



Hoje no Maxime. E isto é o que vale a pena aprender com os finlandeses.

9 de setembro de 2009

working hard just to get yourself



it is a mass production
all the blank little minutes align
on and on 'till the evening
where it's black and orange light
and now we nervous walk here
swinging arms like satellites
and now we're nervous walking
until the body won't sleep through the night

sometimes I can't get it started
back from nothing

7 de setembro de 2009

a normal anormalidade

O que ouvi hoje na escola onde trabalho sintetiza bem o estado em que se inicia este ano lectivo. A escola, ainda em estado de sítio tal o volume das obras de beneficiação, abrirá no dia 15. Ao que parece para a fotografia, pois é o próprio director que não acredita que estejam reunidas as condições. E não é nada difícil perceber porquê. Animam-se, porém, o ministério e os pais, os únicos que na verdade não vão respirar o pó que torna o espaço infrequentável. Assim é a normalidade propalada.
Simultaneamente abordou-se o tema da avaliação. Mais uma vez, e dito pela direcção da escola, o melhor é nada fazer para já. Até porque daqui a vinte dias há eleições e muitas questões continuam por explicar. Nomeadamente como pode um processo de dois anos ser abrangido por um simplex que está previsto para doze meses. Confusão? Não, certamente tudo previsto.
A gripe? Essa espera-se que morra com o pó. O plano de contingência é na verdade o que se encontra à disposição nos centros de saúde. As salas de isolamento? É possível que alguém um dia explique como funcionarão.
Quanto ao resto tudo bem. Continuam a faltar professores, apesar da escola ter sofrido uma revolução no corpo docente. Muitos e cada vez mais contratados. Como convém. Não se oferece estabilidade, o vínculo é precário, mas isso não incomoda. A não ser, claro, os próprios e as suas famílias.
Como sempre nos últimos quatro anos, está tudo bem. O problema é o que está mal. E sobre isso pouco se diz.


P.S. - Já agora, e só para que não restem dúvidas, acho a manifestação agendada um erro. É evidente que só pode ser mal interpretada. Ainda que convocada pelos movimentos e não pelos sindicatos. Quem com ferro fere, com ferro será ferido. Tenham juízo!

we talked for hours


(...)
Oh please god bring relief
even if it's only brief
cause she says that we were just make-believe
but I thought she said maple leaves
(...)
I never understood at all
I never understood at all
I never understood at all

5 de setembro de 2009

My mind's aflame


(...)
My mind has changed
My body's framed,
But God I like it
My heart's aflame
My heart is strained
But God I like it
(...)

são só coisas...

Quando alguém deixar de viver aqui
Espera que ao voltar seja para ti
Nada vai ser fácil
Nunca foi
Quando alguém deixar de te dar amor
Pensa que há quem viva do teu calor
Hoje é só um dia e vai voltar
Amanhã
E não foi assim que o tempo nos fez
E fez assim com todos nós
E não foi assim que a razão nos amou
E fez assim com todos nós
São coisas
São coisas
São só coisas
São coisas




(com especial dedicatória)

3 de setembro de 2009

2 de setembro de 2009

truth

Carl Jung
We should not pretend to understand the world only by the intellect; we apprehend it just as much by feeling. Therefore, the judgement of the intellect is, at best, only the half of truth, as must, if it be honest, also come an understanding of its inadequacy.

I've been running like you



I've been searching for truth
And I haven't been getting anywhere

We've been running from love
And we don't know what we're doing here