29 de janeiro de 2010

it's time to dress up right

Statler and Waldorf

Tiago: ontem não resisti e escrevi o post
me: já vi
Tiago: sim, eu sei que bastava pôr os clips lado a lado
e que isso deveria chegar porque diriam tudo por si
mas assim nenhum dos visados perceberia
me: exacto
eu diverti-me a ler
Tiago: é giro meter os radiohead a responder-lhes
nunca associei o creep a uma coisa destas, mas tem piada como fica bem
me: ainda assim acho que os benfas não percebem
a simples associação dos dois nomes basta-lhes para dizerem
O BENFICA É O MAIOR!
Tiago: mas isso é utópico
Tiago: isso e o lauroderme
me: de supergorila na boca, claro
Tiago: a resposta será sempre "está bem mas o Beinfrc é o maior"
lá está
então pronto
não serviu para nada

me: serviu
a mim divertiu-me
e quem lê são maioritariamente pessoas cultas e bem informadas
eu não me dou com benfas
Tiago: ah ah
mas com pesquisas no google pode lá ir parar mais gente
no meio disto tudo, o que é mais grave é mesmo o artigo do blitz
me: sim, mas a esses responde-se sempre com super gorila
além de que se fosse eu a escrever era sempre pior, uma vez que sou assumidamente do sporting
Tiago: se bem que com a transformação editorial de "somos uma revista para quem diz que gosta de todo o tipo de música" e "metemos estes títulos para ter mais clicks", ao mesmo tempo é compreensível
sim, tenho a consciência tranquila que ninguém me poderá acusar de dor de cotovelo ou algo do género
o que mais me satisfaz é mesmo, no facebook, a total falta de reacções
se escrevesse Viva o Benfica no facebook tinha 80 likes e 36 comentários, embora todos inferiores a 5 palavras e a maior parte sem qualquer verbo que o dignificasse como frase
me: além de que 4 em cada 5 palavras estariam mal escritas
no mínimo
Tiago: e a quinta palavra seria " !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! "
me: ou “looooooooooooooooool”
Tiago: ora pois

happiness






imagem daqui

28 de janeiro de 2010

I Wish I Was Special



Consta que os adeptos do glorioso andam contentes com isto.

Permitam-me um pequeno cálculo, apesar dos parcos conhecimentos matemáticos:

400 mil € arrecadados pelo concerto Radiohead a dividir por número de presentes, ou seja 1300 pessoas, resulta na contribuição de cada membro do público em 307€.

2 milhões € a dividir pelos 51 mil contentes presentes no estádio resulta na contribuição de cada um deles em 39 €.

As conclusões são ainda mais idiotas que o facto de se ficar contente com tal feito:
Se os Radiohead tivessem dado o concerto no Estádio da Luz teriam contribuído com 15 milhões e meio de € e os benfiquistas que ficam contentes com isto só o estão por ser do Benfica que se fala e nunca pela ajuda ao Haïti. Até porque, se o Benfica estiver bem - ou mesmo que não esteja - "queremos lá saber do resto".

Impossível revermo-nos em tal rejúbilo por o mesmo ser baseado em tão grande narcisismo. Naturalmente que daria para explorar mais a temática, mas fico-me pelo que todos atingem deixando o convite à reflexão. E, evidentemente, obrigado por terem ajudado.

t.

Impulso!

O admirável povo!

A economia vai mal,
a cultura vai mal,
a educação vai mal,
a saúde vai mal,
a justiça vai malíssima,
então, algo que vá bem?
Os resultados desportivos. Com “meia dúzia” de praticantes desportivos, em qualquer que seja a modalidade, Portugal consegue feitos absolutamente inexplicáveis. Nem mesmo o denominado Desporto Rei –Futebol – comparativamente com a maioria dos países europeus de dimensão idêntica consegue ter um nível quantitativo idêntico, mas é inequívoco que conseguimos ser superiores ao nível qualitativo. Por tudo isto, quero dar os parabéns a uma modalidade desportiva que mais uma vez tem projectado o nome de Portugal bem alto.
Parabéns Selecção Portuguesa de Futsal e boa sorte para a final!

uma agulha no palheiro


parece que há quem o odeie. a mim deu-me um enorme prazer lê-lo. ao fim da tarde peguei nele. não o fazia há anos. procurava uma passagem que me tinha ficado na memória.
não significa absolutamente nada, mas podem imaginar a surpresa que senti quando entretanto li a notícia.

back to basics II



Now I know that my eyes must close here
Every word seems to feel like you don't care
But I know that you're so confused and afraid
I just want to be one true thing that don't fade
I don't wanna give up tomorrow
I just can't understand why we're going on
I don't wanna be sad, I don't wanna be scared
I won't wait for you in silence
I see the road is long

back to basics I



Verdadeiro e menos verdadeiro.

24 de janeiro de 2010

"The Office"





Ínicio com contida energia dada pela entrada da bateria, a que se junta o piano naturalmente clássico apenas suportado por um baixo linear e conservador. Porque afinal levamos logo com o peso do logotipo simples da BBC. Um Merry-Go-Round que liga um desinteressante autocarro que sai de um parque que também é de carros a um banal camião que chega ao fim de mais uma viagem de entrega de uma qualquer encomenda numa qualquer empresa, numa qualquer janela das que vemos e de onde vemos tudo isto. A bateria que tenta puxar o resto dos instrumentos a mostrar que isto deve ser algo mais que o Eastenders; mas que se vê obrigada a acalmar e a juntar-se ao companheiro de secção rítmica com o surgir do título da série. Que nos chega num word-art desinspiradamente tão ortodoxo quanto desinteressado. Com o toque de british television que os sopros prestam imediatamente, qual madalena proustiana que nos transporta para os tempos de "Yes, Minister". Tudo castanho acinzentado. Empresarial, britânico, nublado, mas não banal. Perfeito.


t.

21 de janeiro de 2010

you just know, you just do

we'll start a jazz band

Charlotte: So, what are you doing here?
Bob: Uh, a couple of things. Taking a break from my wife, forgetting my son's birthday. And, uh, getting paid two million dollars to endorse a whiskey when I could be doing a play somewhere.
Charlotte: Oh.
Bob: But the good news is, the whiskey works.

Charlotte: Let's never come here again because it will never be as much fun.
Bob: I don't want to leave.
Charlotte: So don't. Stay here with me. We'll start a jazz band.


20 de janeiro de 2010

se lest




what where you before?

Ainda não me saiu da cabeça esta semana. Desde que o Alberto aqui anunciou No Distance Left to Run.



(sei bem que não é a primeira vez que aqui é publicado, mas aquilo que é bom deve ser visto. e revisto, como é o caso)

17 de janeiro de 2010

no distance left to run

Documentário dos Blur numa sala de cinema bem longe de si.

Trailer do DVD 2 que acompanhará o documentário em DVD.

O álbum ao vivo já está à venda. E agora que vi o trailer adivinhem lá.

(so i say) Thank You for The Music

Doe! - a deer, a female deer
Ray! - a drop of golden sun
Me! - a name I call myself
Far! - a long long way to run
So! - a needle pulling thread
La! - a note to follow SO
Tea - a drink with jam and bread
That would bring us back to Do!

é mais por hoje se ter falado de política por aqui.

Como esta gente odeia, como espuma
por entre os dentes podres a sua baba
de tudo sujo sem sequer prazer!
Como se querem reles e mesquinhos,
piolhosos, fétidos e promíscuos
na sarna vergonhosa e pustulenta!
Como se rabialçam de importantes,
fingindo-se de vítimas, vestais,
piedosas prostitutas delicadas!
Como se querem torpes e venais
palhaços pagos da miséria rasca
de seus cafés, popós e brilhantinas!
Há que esmagar o DDT, penicilina
e pau pelos costados tal canalha
de coxos, vesgos, e ladrões e pulhas,
tratá-los como lixo de oito séculos
de um povo que merece melhor gente
para salvá-lo de si mesmo e de outrém.

Jorge de Sena

É mais porque vai para um certo tempo que não se fala de política por aqui.



O que vai durar mais? O solo de guitarras ou a legislatura?

more, give me more, give me more



"This will never end cause I want more
More, give me more, give me more"

10 de janeiro de 2010

5 de janeiro de 2010

Dakar na Argentina

As paisagens são deslumbrantes, a competição árdua, mas isto de ter um DAKAR na América do Sul, não passa de um franchising digno de uma competição desportiva profissional de USA, onde as equipas mudam de cidade. Estranho para a mentalidade lusitana. Imaginem o Futebol Clube do Porto sedeado em Lisboa! Deixem-se de alardes e criem uma competição universal.

Que tal fazer um circuito internacional de provas todo o terreno, em vários pontos do globo, à semelhança do Campeonato do Mundo de Ralis? Deixo a sugestão, ainda que, com uma condicionante, os veículos participantes terem de ser movidos a combustíveis alternativos.

stand there quiet for a moment

Do you remember my sister? How many mistakes did she make with those never
blinking eyes? I couldn't work it out. I swear she could read your mind, your
life, the depths of your soul at one glance. Maybe she was stripping herself
away, saying

Here I am, this is me
I am yours and everything about me, everything you see...
If only you look hard enough
I never could.

sad old feeling

2 de janeiro de 2010

You feel it all around yourself

islands on the coast


















Here's a copy of a lesson you know,
and put the kind words to bed.
For man don't say why, or even know how,
it's only awful as the hell that you know.

When eyelids want to close, eyelids want to close,
they'll know how, yeah, they'll know how.

Home, home, home
Home, home, home
Home, home, home
Home, home, home

1 de janeiro de 2010

Take me home or take me anywhere

espectro



a luz em Lisboa tem dado para tudo. até para mais um lugar comum.

just like yesterday



Desculpem o lugar comum. Não sei se é mesmo o melhor, mas sei que é absolutamente genial. E dos que mais ouvi no longínquo 2009.

No dia de hoje dedico estas
duas semanas aos amigos. Os de sempre e os recém-chegados. Muito especialmente àqueles que descobri através desta pressa de chegar. Bem haja!

I told you I would stay...
Take your tim
e